NOTÍCIAS

Profissionais do Departamento Psicossocial orientam elenco com vistas ao OPG

08, Out de 2018

O Serra Macaense vive a expectativa para a estreia no Torneio Otávio Pinto Guimarães no próximo sábado (13), diante do Fluminens, em Los Larios. Um dos pilares do trabalho no Clube, o Departamento Psicossocial está à frente do elenco para a inédita participação na competição, auxiliando os jovens atletas a tirarem de si o mais elevado rendimento em busca dos resultados. Para tal, o planejamento montado pelos psicólogos Ivana Zimmermann, Jefferson Azevedo e Tatiane Cantiliano Rodrigues é essencial.

 

“Essa participação no OPG é de extrema importância para o Serra Macaense, visto que é a maior vitrine para os atletas da base e excelente oportunidade de jogar contra os grandes do Rio de Janeiro. Além disso, o Clube aproveita todo o processo de preparação e competição para avaliar jogadores e profissionais técnicos para fazer parte da equipe profissional do próximo ano. Dessa forma, trabalhamos em várias frentes, facilitando a integração e ambientação de todos envolvidos com a equipe, a fim de que se torne um elenco coeso, motivado, competitivo e autorresponsável. Também damos suporte às estratégias do Clube, equipe técnica e profissionais de saúde, em programas de desenvolvimento de carreiras, visto que alguns jogadores que compõem o plantel já são profissionalizados e possuem contratos assinados com outras agremiações. Estruturamos um programa de treinamento para competições curtas e rápidas como é o caso do OPG, com o objetivo de favorecer o desenvolvimento das habilidades cognitivas e psicológicas que podem, se não trabalhadas adequadamente, interferir no rendimento esportivo. São elas: atenção, concentração, autoconfiança, controle da ansiedade e autoeficácia”, afirma Tatiane.

 

Essa mescla de meninos das categorias de base com atletas que estiveram na disputa do Campeonato Carioca – Série B1 é um diferencial do Serra Macaense para a 1ª rodada do OPG. A experiência dos nove remanescentes que estão à disposição para a estreia propicia um nível ainda melhor dos demais jogadores pelo fator anímico e a bagagem trazida das outras competições.

 

“É fato que a experiência colabora muito no sentido de trazer maturidade e confiança para a equipe, somando-se ao fato de disputarmos igualmente competições de bom nível em todas as categorias ao longo da temporada o que eleva todos os atletas de forma geral.  O grupo profissional esse ano possuía média de idade de 20,7 anos, por isso, alguns destaques foram escalados para integrar a equipe da sub-20 que fez um belíssimo Campeonato Carioca – Série B1 terminando em 5º lugar. Na prática, o que temos presenciado sob o comando do treinador Clayton Moraes é um time bastante técnico, inteligente, ousado, motivado e extremamente habilidoso”, ampliou a Coordenadora do Departamento.

 

Finalizando o primeiro ano de trabalho desde o começo das atividades junto ao Serra Macaense, a profissional valoriza a semente plantada junto aos jovens e os frutos que estão sendo colhidos através dos envolvidos no processo.

 

“Tivemos algumas mudanças razoáveis e outras muito significativas, o que nos enche de orgulho, pois em um curto período já é possível ver os frutos desse trabalho. Os avanços são imensuráveis, já que lidamos com sujeitos em formação (sub-15, sub-17, sub-20 e profissional) e subjetividade, mas ao ensiná-los a lidarem e superarem as fraquezas, os encorajamos a enxergarem suas próprias forças e oportunidades. Orientamos sobre valores, cidadania, ética, autorresponsabilidade, ou seja, a base para a formação de qualquer indivíduo. Não é comum ver psicólogos inseridos nas equipes técnicas de muitos clubes da Série A do Campeonato Brasileiro, muito menos da Série B do Estadual e trabalhando com categorias de base. Trata-se da implantação de uma cultura que é nova inclusive dentro do Clube, mas que vem ganhando força e sendo cada vez mais respeitada. O Serra Macaense tem como proposta ser mais que um Clube Formador e isso já implica em muita responsabilidade. O objetivo de seguir os modelos internacionais de desenvolvimento de atletas e profissionais do esporte faz com que busquemos referências pelo Mundo, além de implantarmos nossa própria metodologia. Trabalhamos em um Clube de vanguarda que tem muito a crescer. Institucionalmente percebo uma conquista de espaço a partir do momento que somos encarados como profissionais que estamos na equipe para somar. E esse olhar diferenciado, minucioso e técnico da psicologia implica com que condutas sejam revistas constantemente, onde tanto o Clube, como os profissionais que aqui estão, se colocam dispostos a isso. Ganhamos todos nós que saímos muito mais fortalecidos e preparados”, finalizou Tatiane.